Atleta do Iate é destaque nas regatas virtuais

O velejador do Iate, Lucas Rocha Dantas, 15 anos, que atualmente veleja na classe Laser, começou no esporte em 2016, na classe Optimist, por influência do pai, André Dantas. Desde então, participou de várias regatas locais e até mesmo nacionais.

Com o início da pandemia, em março, os treinos e regatas foram suspensos. Muitos eventos de vela não puderam ser realizados presencialmente e organizadores passaram a utilizar o aplicativo Virtual Regatta Inshore, para a realização dos eventos no formato online. O aplicativo é reconhecido pela World Sailing (entidade máxima da vela), que realiza anualmente o Campeonato Mundial Online de Vela. Em maio, o Iate Clube de Brasília organizou a Regata Iate 60 anos e, em julho, o Campeonato Brasileiro Interclubes Online de Vela, ambos no aplicativo Virtual Regatta Inshore.

No início da pandemia, o atleta Lucas começou a treinar no Virtual Regatta. “Consegui aprender várias coisas, como as rondadas de vento, saber qual lado da raia que vai ser melhor e quando buscar a próxima rajada de vento. Minha tática de regata melhorou muito depois que comecei a treinar no jogo. Além disso, acho muito legal a interação com pessoas de outros estados. Com isso criei várias amizades”, contou Lucas.

O velejador também destacou que em eventos presenciais nunca conseguiu chegar na frente de velejadores de renome mundial. Mas, no Virtual Regatta conseguiu vencer vários campeonatos, chegando na frente de bons velejadores nacionais e internacionais.

Nas regatas virtuais, os resultados mais expressivos de Lucas foi de campeão da 1ª Copa ABCL de Laser e de vice-campeão da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Atualmente, ele é um dos melhores velejadores do Brasil e é o 3º melhor do ranking nacional de Virtual Regata, que conta com quase 400 participantes.

O plano do atleta é continuar treinando e competindo na classe Laser e no Virtual Regatta, representando o Iate em futuras competições.

Inscrições abertas para a Escola de Desportos Náuticos

Boa notícia para os Iatistas que gostam de praticar esportes no Lago Paranoá! A Diretoria de Esportes Náuticos abriu inscrições para aulas de várias modalidades: Canoa Havaiana, Kitesurf, Vela Adulto e Windsurf.

Para garantir a vaga no curso escolhido, basta o Associado interessado comparecer à Secretaria Náutica. Cabe ressaltar que os coletes salva vidas, barcos e pranchas são oferecidos pelo Iate, sem nenhum custo aos alunos. As canoas havaianas e o material para o Kitesurf são oferecidos pelos próprios professores, especialistas em cada modalidade, também sem custo adicional. Mais informações: (61) 3329-8747/8748. Confira mais detalhes sobre os cursos:

Canoa Havaiana – Com o professor Andherson Reis. Para agendar a aula, é necessário ligar para o telefone (61) 99983-8094.

Kitesurf – Com o professor Alex Léo. Para agendar a aula, é necessário ligar para o telefone (61) 99909-9662.

Vela Adulto (acima de 15 anos) – Com as professoras Raquel Aimone e Rossana Ramos. Para agendar a aula, é necessário ligar para (61) 98164-6699 (Raquel) ou (61) 99977-2799 (Rossana).

Windsurf (adulto e infantil) – Com o professor Dudu Pedroza. Para agendar a aula, é necessário ligar para o telefone (61) 99118-0318.

Com novo decreto, Iate amplia funcionamento

O Decreto nº 40.988, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal do dia 14 de julho, alterou o Decreto nº 40.923 (26/06/20), que definia a reabertura dos clubes recreativos do DF. Com isso, o Iate pôde ampliar seu funcionamento, já que ficou permitida a abertura de academias, bares e restaurantes dentro dos clubes.

Contudo, segue proibida a prática de esportes coletivos e a utilização das demais áreas de uso coletivo, tais como piscinas, churrasqueiras, saunas e afins, assim como a utilização de espaços para a realização de piqueniques ou outras atividades que gerem aglomeração.

Desde a última quinta-feira (16), o Iate passou a funcionar de segunda a segunda, das 6h às 21h. Todos os frequentadores devem continuar a seguir os protocolos e medidas de segurança recomendados pelas autoridades sanitárias e pelo Iate Clube, que incluem o distanciamento mínimo de dois metros entre as pessoas; a utilização de álcool em gel 70% para higienização das mãos (será fornecido pelo Clube); e a utilização, durante toda a permanência nas dependências do Clube, de máscaras de proteção facial. Todos os Associados, colaboradores e concessionários continuam a ter a temperatura corporal aferida na entrada do Clube.

A Academia do Iate voltou a funcionar na última quinta-feira, seguindo as medidas previstas no Decreto nº 40.939, de 02 de julho de 2020. Os detalhes podem ser conferidos na página 03, deste jornal. No mesmo dia, também foi permitida a reabertura de bares, restaurantes e demais concessionários instalados dentro do Clube, conforme regras do decreto específico. O funcionamento dos concessionários do Iate está disponível na tabela. O Iate solicita a importante colaboração de todos no cumprimento dos protocolos de segurança. O objetivo é garantir a saúde e bem estar de todos os frequentadores do Iate e evitar as sanções previstas nos decretos do GDF, que incluem aplicação de multa e interdição entre outras sanções administrativas e penais, nos casos de inobservância dos protocolos e das medidas de segurança recomendados

Atividades do EMIATE durante a Pandemia

Os alunos dos cursos de Pintura, Violão e Violino do EMIATE continuam tendo aulas online, neste momento de distanciamento social, para que não haja interrupção no aprendizado. As aulas são práticas e têm tido grande aproveitamento pelos alunos. Os Associados que ainda não estão matriculados nos cursos também podem participar. Inscrições e informações pelos telefones 3329- 8745 / 3329-8813. Confira a grade horária:

Pintura: segundas, quartas e quintas-feiras, das 14h às 17h, e sextas-feiras, das 9h às 12h;

Violino: quintas-feiras, das 18h às 19h, e sextas-feiras, das 14h às 15h;

Violão: terças-feiras, das 18h às 19h.

Restaurante Caravela reabre em novo formato de atendimento

O Restaurante Caravela voltou a funcionar no último fim de semana, com algumas alterações e adotando todos os protocolos de segurança recomendados pelos órgão de saúde e pelo decreto do GDF. Como o sistema self-service implica risco devido à manipulação direta dos alimentos expostos e também por não ser possível traçar uma projeção do número de refeições a servir, o restaurante começou a operar, nesta primeira fase, com o cardápio de comida brasileira a-la-carte. O objetivo é garantir mais segurança aos frequentadores e funcionários do estabelecimento.

São oferecidos cinco pratos: Brasileirinho 1 (picanha fatiada na chapa, feijão tropeiro, arroz branco, batata frita e salada), Brasileirinho 2 (coxa/sobrecoxa de frango grelhada, feijão tropeiro, arroz branco, batata frita e salada), Brasileirinho 3 (picanha fatiada e linguiça de pernil grelhados, feijão tropeiro, arroz branco, batata frita e salada), Filé Mignon (grelhado com molho de vinho e cogumelos, arroz branco e batata frita) e Peito de Frango à Parmegiana (acompanha arroz branco e batata frita). Os preços variam entre R$ 30 e R$ 55. 

A agilidade no atendimento é garantida pelo uso de equipamentos frios e quentes do self-service, associado à churrasqueira, todos instalados na área de atendimento, possibilitando a montagem dos pratos de imediato. Venha conhecer o novo formato de operação do Caravela!

Iate terá eleições em outubro

Em reunião Ordinária e Extraordinária do Conselho Deliberativo, realizada na última quinta-feira (13), em caráter reservado devido à pandemia, foi definido que o Iate Clube de Brasília terá eleições no modelo presencial no dia 10 de outubro. Na data, serão escolhidos os futuros membros da Comodoria e do Conselho Deliberativo, para o triênio 2020/2023.

“Por maioria, os membros do Conselho Deliberativo decidiram pela eleição presencial, conforme previsto no Estatuto do Iate. Temos plena convicção de que o Iate tem todas as condições de realizar o processo eleitoral com responsabilidade e segurança para todos. O planejamento será realizado pela Comissão Eleitoral, com o intuito de inserir algumas facilidades, como prioridade para a votação dos idosos e opção de voto por Drive Thru. Contaremos com o apoio da Diretoria Médica e serão atendidos todos os protocolos preventivos exigidos pelas organizações de saúde e pelo GDF, como o respeito ao distanciamento mínimo, aferição de temperatura e disponibilização de álcool em gel. Vamos dar exemplo para o todo país!”, explicou Antônio Oscar Lóssio, presidente do Conselho Deliberativo. No entendimento do Conselho, segundo ele, para a eleição em formato eletrônico, seria necessário alterar o Estatuto e pesa ainda o receio em razão dos riscos inerentes deste tipo de procedimento. 

Assim, a eleição será realizada no dia 10 de outubro, com instalação da Assembleia-Geral Ordinária às 9h e processo de votação das 11h às 20h. Serão eleitos três Sócios patrimoniais que irão integrar a Comodoria do Iate, composta pelo Comodoro e seus 1º e 2º vice-Comodoros, e também os sessenta Sócios patrimoniais, que irão integrar o Conselho Deliberativo, sendo quarenta Conselheiros Efetivos e vinte Suplentes de Conselheiro.

O Regulamento das Eleições Gerais do Iate Clube de Brasília para o triênio 2020/2023, estará disponível para consulta do Quadro Social, no site do Clube (www.iateclubedebrasília.com.br), a partir de hoje, dia 15 de agosto.

Outras decisões – Na mesma ocasião, o Conselho Deliberativo aprovou, por unanimidade, a Decisão nº 003/2020 da Mesa Diretora, referente ao desconto de R$200,00 na mensalidade do Iate para cada Título, pelo período de dois meses. Também foram aprovadas, por unanimidade, ad referendum, as contas referentes ao exercício de 2019 e a readequação orçamentária solicitada pela Comodoria em fevereiro.

Inscrições abertas para nova modalidade: Canoa Havaiana

O Iate Clube de Brasília sempre teve como prioridade proporcionar aos seus Sócios melhoria na qualidade de vida por meio da prática esportiva. A Diretoria de Esportes Náuticos apresenta, agora, a mais nova modalidade do Clube, a Canoa Havaiana, que utiliza o contato com a natureza como ferramenta de interação e contemplação.

Este esporte se diferencia de outras modalidades por não exigir treino específico para o início da prática e pode ser praticado por toda a família, crianças, portadores de deficiência e pessoas da melhor idade. O instrutor é o atleta da Seleção Brasileira Andherson Reis (@brasiliapaddleclub), que participou de vários eventos internacionais (Mundiais, Seletivas e Pan-americanos) e foi Campeão Brasileiro e Campeão Brasiliense em anos consecutivos e em mais de uma categoria.

Os Sócios interessados podem procurar a Secretaria Náutica para obter mais informações e, posteriormente, agendar dia e horário diretamente com o Instrutor pelo telefone (61) 99983-8094. As aulas têm a duração de uma hora e, neste período de pandemia, serão realizadas em canoas individuais e duplas, respeitando os protocolos de higienização e distanciamento social.

A mensalidade promocional das aulas para Sócios é de R$ 200,00 (2x/semana), R$ 250,00 (3x/semana) e R$ 300,00 (5x/semana). Para quem quiser fazer aulas avulsas ou experimentais, o valor é de R$ 50,00 (uma hora de duração). Mais informações pelos telefones: (61) 3329-8747/8748.

Conheça o atleta Iatista Felipe Rondina

O velejador do Iate, Felipe Rondina, 23 anos, começou a velejar em 2005, na classe Optimist, na Escola de Vela do Clube, por influência do irmão mais velho. Nesta classe, o velejador foi vice-campeão brasileiro, bicampeão brasileiro infantil e integrou a seleção brasileira por quatro vezes, para representar o país do Campeonato Mundial de Optimist. Depois, Felipe se dedicou à classe Snipe, na qual conquistou vários títulos nacionais e internacionais. 

No último ano, o atleta se destacou nos principais eventos nacionais na classe Olímpica Laser Standard. Ele foi Campeão Brasileiro e Campeão da Copa Brasil de Vela. Apesar de não ter barco próprio da classe Laser, Rondina velejou e venceu os dois campeonatos com barco emprestado por seus amigos.

Ainda esse ano, o Iate Clube de Brasília vai receber três barcos completos da classe Laser, comprados com recursos do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), através do edital nº 7. Segundo o Diretor de Esportes Náuticos, Flávio Martins Pimentel, Felipe Rondina será um dos candidatos à utilização desses barcos, visando treinamento e competições, com foco ao próximo ciclo Olímpico.

Devido ao seu histórico esportivo e recentes conquistas, Rondina foi convidado pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela), para participar de um treinamento intensivo de alto rendimento, que aconteceu esta semana, na Marina da Glória (RJ), com os técnicos da CBVela e os principais atletas do país na classe Laser.

Felipe, também foi convidado na última semana, pela CBVela e pelo CBC, para participar de uma live sobre o esporte e sobre a importância do Campeonato Brasileiro Interclubes do CBC. Para assistir, é basta acessar o link: https://www.youtube.com/watch?v=HAZYISjZ8t0.

Para o futuro, o plano do atleta é continuar velejando o máximo possível, disputar os campeonatos no exterior, brasileiros, sul-americanos e continuar trazendo bons resultados para o Iate e para Brasília. “Agradeço primeiramente à minha família, que nunca mediu esforços para me ver competir e devo tudo a eles! Também gostaria de agradecer ao Guilherme Raulino e Marcos Carraca (in memoriam)”, disse o velejador.

Atletas do Iate participam do Ecovila da Lagoa Kitespeed 2020

No último sábado, dia 08, os atletas do Iate Clube de Brasília participaram da Ecovila da Lagoa Kitespeed 2020, realizado na Lagoa Formosa, em Planaltina. Os Sócios Bruno Ramos e Alex Léo estão em 1º e 3º lugares, respectivamente. Nesta primeira etapa, tiveram 32 inscritos. A dupla espera agora a chamada para a 2ª etapa do evento. Alex Léo é o professor de Kitesurf do Iate. A foto é de Ricardo Camargo (@ricvcamargo).

Hormônio do exercício pode ter efeito contra a covid-19, aponta estudo

Matéria publicada no Correio Braziliense desta sexta-feira, dia 14, pode dar um impulso a mais para os Sócios voltarem a frequentar a Academia do Iate. Segundo apuração do jornal, dados preliminares de um estudo desenvolvido pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) indicam que o hormônio irisina, liberado pelos músculos durante atividades físicas, pode ter efeito terapêutico em casos de covid-19. 

Em testes feitos em laboratório, ao analisar dados, os pesquisadores observaram que o hormônio tem um efeito modulador em uma linhagem de células adiposas — responsáveis por armazenar gordura e regular a temperatura do corpo — em genes associados à reaplicação do vírus SARS-CoV-2 no corpo humano. Ou seja, a substância diminui a expressão dos genes da proteína que o vírus se liga e, se não tem proteína, o vírus apresenta dificuldade para infectar a célula.

Por causa da pandemia, os pesquisadores decidiram investigar possíveis efeitos da irisina em genes relacionados à replicação do vírus. A partir do cruzamento de dados, eles descobriram que o tratamento com o hormônio em células adiposas diminuiu a expressão de vários genes que regulam o ACE2 — fundamental para a replicação do vírus em células humanas. O gene ACE2 codifica a proteína a que o vírus precisa se ligar para invadir células humanas. Outro ponto positivo encontrado no estudo foi o hormônio ter triplicado os níveis de transcrição do gene TRIB3. Em indivíduos idosos é comum ocorrer a diminuição da expressão desse gene, o que pode estar relacionado à maior replicação do novo coronavírus e ao risco aumentado dessa população à covid-19.

A pesquisadora da faculdade de Medicina da Unesp, em Botucatu (SP), Miriane de Oliveira explica, ainda, que um terceiro aspecto importante é o tecido adiposo aparentemente servir como “repositório” do vírus. “Isso ajuda a entender por que indivíduos obesos têm maior risco de desenvolver a forma grave da covid-19. Fora isso, indivíduos obesos tendem a ter níveis menores de irisina, assim como maiores quantidades da molécula receptora do vírus [ACE2], quando comparados a indivíduos não obesos”, detalhou.

O artigo, publicado na revista Molecular and Cellular Endocrinology, descreve dados gerados no estudo de pós-doutorado de Oliveira. O trabalho contou com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPES).

Fonte: Correio Braziliense