Eliminação de água parada

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), juntamente com os setores responsáveis do Iate Clube de Brasília, tem atuado, de forma constante no combate à eliminação de possíveis focos do mosquito Aedes aegypti. 

Nesse sentido, as equipes realizaram uma inspeção minuciosa para verificar água parada em calhas, vasos, folhas, pneus, ralos, garrafas, lixeiras e outros locais que possam ser criadouros de mosquitos. 

“Trata-se de uma ação necessária para que tenhamos uma redução considerável na quantidade de mosquitos transmissores de doenças, especialmente em razão do aumento de casos no Distrito Federal”, explica o presidente da CIPA, Allan Godoy.

Segundo o Ministério da Saúde, o DF contabiliza 30 mil casos de dengue, desde o início deste ano, além de outros casos como febre amarela, chikungunya e zika vírus. Dados da Secretaria de Saúde mostram que, em apenas um ano, os diagnósticos da doença subiram 548%.

Os números deixam o DF em estado de alerta e, de acordo com especialistas, maio será o mês mais preocupante. Por isso, o Iate não medirá esforços para eliminar os focos dos mosquitos.