Adequação à LGPD

O Iate Clube de Brasília sempre prezou pela privacidade e segurança dos dados pessoais dos associados, colaboradores e parceiros e está em fase de adequação de normativas internas para o pleno atendimento da legislação vigente.

Aprovada em agosto de 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nº 13.709/2018) visa criar um cenário de maior segurança na questão do tratamento de dados pessoais com a padronização de normas práticas.

Neste sentido, após certame licitatório, o Iate contratou a empresa Maciel Assessores para elaborar o plano de implementação da LGPD nos processos e fluxos do Clube, em consonância com o que determina a norma federal.

A primeira etapa do trabalho da empresa será a realização de um webinário com colaboradores, gerentes e diretores a fim de conscientizar as equipes quanto ao processo de implementação da LGPD, bem como das penalidades previstas em caso de descumprimento da norma. Posteriormente, farão o mapeamento de todos os dados com os quais o Iate lida diariamente.

“Em breve, será criada a Política de Privacidade do Iate, cujo objetivo é tornar o mais transparente possível a forma em que se dá a coleta e o uso de dados pessoais no Clube. Para isso, por exemplo, até mesmo o wi-fi do Clube será alterado, tendo em vista que os cuidados com a gestão da rede devem ser redobrados”, explica Marcello Katalinic, Diretor de Patrimônio e Suprimentos e vice-Diretor de Tecnologia e Inovação.

“A adequação exige mudanças em larga escala no tratamento dos dados das pessoas físicas e jurídicas que mantêm relação com o Iate Clube e que envolvem aspectos legais, tecnológicos, processuais e de governança e privacidade. Contudo, ela também representa uma oportunidade para fazermos inovações no manejo de dados, para darmos mais transparência ao uso de dados pessoais dos nossos sócios e direcionar o Iate em um caminho mais contundente de economia digital”, considera Juliano da Cunha Frota Medeiros, Diretor Jurídico.