Conselho Deliberativo aprova proposta de readequação do orçamento de 2021

Vários temas importantes para o Quadro Social constaram da pauta da última Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo, realizada em 26 de julho. O primeiro foi sobre a proposta do Conselho Diretor de readequação do orçamento do exercício de 2021.

A Comissão Permanente de Orçamento e Finanças, composta pelos Conselheiros João Wellish, Eunice Maria Machado Malvar e Maurício Carneiro de Albuquerque, analisou a retificação da peça orçamentária pautando-se por premissas que levaram em consideração o contexto atual, tanto sob o ponto de vista externo quanto sob a perspectiva interna, da estrutura operacional do Clube.

A revisão apontou uma redução do orçamento para o exercício de 2021, aprovado pelo Conselho Deliberativo em dezembro de 2020, no valor de R$ 8.435.556,73. A redução se deve, principalmente, à percepção do Conselho Diretor de que as previsões de Receitas Operacionais não se performariam e, ainda, que as transferências de anos anteriores (sobras orçamentárias), estimadas quando da elaboração da peça orçamentária pelo Conselho Diretor, em outubro de 2020, não se realizaram.

Consequentemente, para enfrentar tal frustração de receita, o Conselho Diretor se propôs a efetuar corte significativo nas despesas correntes e nas despesas com investimentos, mantendo o excelente funcionamento do Clube e os investimentos mais urgentes. 

Em relação às reformas programadas inicialmente, a revisão proposta reduziu o montante previsto, até mesmo porque a disponibilidade real de recursos mostrou-se menor. A proposta inicial de R$ 2.836.046,33 foi revisada para R$ 1.174.190,86. “Entretanto, do previsto inicialmente, apenas 11,10% foi executado, o que demonstra que há dificuldades operacionais importantes a serem superadas”, analisou o Presidente da Comissão, João Wellish.

Neste ponto, o Comodoro Flávio Pimentel afirmou que algumas obras estão em andamento e que o “processo licitatório atual é burocrático, o que atrasa a execução. Por isso, há uma comissão formada especialmente para revisar e simplificar os trâmites licitatórios, tornando-os mais célere e igualmente transparentes”.

A revisão adia algumas reformas a exemplo da substituição do piso da Fonte Infantil, da reforma dos cais estaqueados da náutica, da revitalização da fachada externa da entrada principal, entre outras, mas reforça uma importante: a da antiga Sede Social, patrimônio de valor incalculável para a Família Iatista.

Sobre este assunto, o 1º Secretário e Conselheiro Nato, Carlos Alberto Ferreira Júnior, fez uma emenda, aprovada pela Comissão, para que fosse disponibilizada verba para atender à demanda de substituição do piso da Fonte Infantil, posto que é um local cativo para as crianças pequenas que frequentam o Clube. O recurso para a obra é oriundo de um corte linear realizado nas despesas correntes de, aproximadamente, 0,46%. 

“Aprovamos a readequação, com as autorizações de remanejamento solicitadas pelo Conselho Diretor, e solicitamos algumas alterações na peça orçamentária. Os ajustes e apontamentos realizados abrem uma janela de oportunidade para que o Conselho Diretor planeje melhor as reformas e os investimentos previstos para 2022, sempre tendo como prioridade o bem-estar do Associado e o melhor para o Clube. O trabalho da Comissão foi muito aprofundado, cuidadoso, e buscou-se a solução mais equilibrada para o Iate”, finalizou Wellisch.