Conselheiro Edward Borba faz análises sobre pareceres de pautas estratégicas

Nesta e na próxima semana traremos uma matéria aqui para o site, em formato de entrevista, com os presidentes das Comissões do Conselho Deliberativo, os quais apresentarão aos Sócios os assuntos que serão deliberados na reunião do pleno no dia 21 de junho.

A iniciativa, segundo o Presidente do Conselho, Edison Garcia, é que cada Comissão explique a sua visão sobre o tema, com base no parecer formulado pelos membros, mostrando aos Associados como tem sido tratadas algumas questões que impactam diariamente o Clube.

A pauta da primeira entrevista será a Comissão de Governança, Inovação e Compliance (GIC) do Conselho Deliberativo, composta pelos Conselheiros Edward Borba, André Carrara e Helton Costa e visa propor avanços e mecanismos de suporte à governança da atual gestão. 

Neste primeiro semestre, a pedido do Presidente Garcia, a Comissão se debruçou sobre duas pautas estratégicas: tecnologia e aquisições. Veja na entrevista a seguir o balanço que Borba (foto) faz dos resultados alcançados até o momento.

Em seu primeiro parecer, a Comissão avaliou o Programa de Tecnologia da Informação e Inovação (PTII). Quais são os avanços propostos pela Comodoria? 

A tecnologia é fator crítico de sucesso de todas as organizações modernas. No Iate, ela nos afeta desde a chegada ao Clube até a prestação de contas aos Associados. O PTTI se mostrou uma peça madura e consistente, que cuida, concomitantemente, da sustentação tecnológica e das inovações necessárias para garantir a melhor experiência do Iatista com os serviços do Clube. 

O programa define eixos e projetos estruturantes de segurança lógica e física, como a migração do parque tecnológico para a nuvem, a desburocratização e a eficiência administrativa com assinaturas digitais de documentos e a adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que trarão a segurança jurídica e técnica da gestão de informações e processos do Clube.  

No eixo da inovação, o PTII prevê a modernização de diversos serviços e da infraestrutura tecnológica, bem como a criação de ferramentas de inteligência de negócios para melhor subsidiar a tomada de decisões do Clube, baseada em análise de dados em futuro próximo. 

Qual foi o entendimento da Comissão? 

Na análise, a Comissão GIC identificou como oportunidade de melhoria ao PTII a complementação da gestão orçamentária dos projetos, bem como o refinamento da priorização das ações em seu cronograma ao longo do triênio. Acreditamos que a gestão está no caminho certo da inovação tecnológica, que já vem trazendo alguns frutos do trabalho para o Associado. 

E em relação ao segundo parecer? 

O segundo parecer abordou as aquisições, função crítica dentro do Iate, posto que realiza centenas delas por ano. A demanda tratava, especificamente, de uma adequação no Regimento Interno, acerca das atribuições da Comissão Permanente de Licitação (CPL), a fim de suprir a lacuna regulamentar identificada pela atual gestão. Em suma, propunha uma ordenação procedimental dos trabalhos da CPL.  

A Comissão GIC concluiu que a medida atendeu ao objetivo específico e fez breves sugestões. Entretanto, também viu a oportunidade de ampliar a discussão sobre uma modernização mais profunda do modelo de aquisições do Iate. 

 

As proposições sugeridas visam dar mais celeridade aos processos de compras?  

A Comissão fez um benchmarking de estratégias de aquisição adotadas por clubes de expressão nacional e confirmou que o Iate precisa investir na modernização de seu processo. Atualmente, a regulamentação do Clube é típica de aquisições públicas, com excesso de ritos para todas as compras, sem autonomia de alçadas de autorizações aos gestores para compras corriqueiras, o que torna ineficiente o processo geral no cotidiano.  

Somos uma associação privada; podemos e devemos adotar práticas mais eficientes que garantam a agilidade e a economicidade nas compras do Iate, sem perder a segurança. A proposta é deixar processos licitatórios mais elaborados para grandes aquisições e obras que demandam ritos mais pesados. 

Qual balanço a Comissão faz sobre este primeiro semestre de trabalho? 

É o começo dos trabalhos da Comissão. Esperamos continuar os trabalhos ao lado da gestão, dialogando e buscando soluções conjuntas para a modernização e a melhoria dos serviços do Clube para o Associado, cuidando sempre da boa governança de nosso patrimônio.