Consciência coletiva

Zelar pela saúde dos Associados, dos funcionários e dos demais frequentadores do Clube tem sido o foco da Administração, especialmente neste período de pandemia. Para isso, a gestão tem adotado medidas complementares à legislação vigente com o intuito de fortalecer entre todos a importância da prevenção como forma de combate ao coronavírus.

“Há mais de um ano, defendemos o uso de máscaras, a higienização e a prática do isolamento e do distanciamento social. São atitudes simples e que, quando realizadas coletivamente, podem impedir o avanço da doença que assola milhares de famílias em todo o mundo”, lembra o Diretor Médico, Luiz Alberto Mendonça de Freitas.

Segundo o médico, com as novas variantes que têm surgido, o cuidado deve ser redobrado. Por isso, organismos nacionais e internacionais de saúde passaram a recomendar o uso combinado de máscaras: uma cirúrgica descartável, como primeira camada, e outra de tecido por cima.

“A máscara é um dos pilares da proteção ambiental e pessoal contra vários vírus e, no nosso caso atual, protege contra o coronavírus. Quando usada corretamente, é uma das formas mais efetivas que a gente tem hoje de redução da velocidade de propagação do vírus”, explica.

No início do ano, o Iate Clube sofreu uma reprimenda da Vigilância Sanitária devido ao não uso de máscaras pelos Sócios. “Fazemos um trabalho de conscientização e é necessário que cada um cumpra a sua parte. Sabemos que o Clube é um local de lazer e descanso, mas, nem por isso, devemos nos esquecer das normas vigentes e colocar em risco a saúde dos mais vulneráveis”, acrescenta Freitas.

Ele lembra ainda que, no momento em que não estamos com máscaras, como durante uma refeição com os amigos ou apreciando uma cerveja, abre-se uma brecha para a contaminação. “Assim, criamos um ‘ponto fraco’ na nossa proteção ao tirar a máscara para comer ou beber com outras pessoas próximas e, por isso, é necessário manter o distanciamento nessas ocasiões”, finaliza o Diretor Médico.