Clubes se unem para solicitar autorização para funcionamento

Iate Clube

A Confederação Nacional dos Clubes (FENACLUBES) enviou um ofício ao Presidente Jair Bolsonaro, na última quarta-feira (13), solicitando a inclusão dos Clubes Esportivos e Sociais no rol de atividades essenciais.

A solicitação foi realizada após a edição do decreto 10.344/20, que incluiu as academias entre as atividades que podem operar durante a pandemia do Novo Coronavírus. A Confederação alega que a grande maioria dos Clubes também possui academias, bem como o incentivo à outras atividades físicas e práticas esportivas, em consonância com a recente inclusão.

“Os Clubes dispõem de diversos outros espaços, muitos deles ao ar livre, que propiciam o contato com a natureza, possibilitam atividades físicas e facilitam o distanciamento entre os praticantes. Reforçamos que a ação dos Clubes está intrinsecamente ligada à saúde e ao bem-estar das pessoas, tanto por sua característica familiar de integração social, quanto pelo grande incentivo aos esportes e às práticas de atividades físicas”, defendeu a FENACLUBES, na carta que foi assinada por seu presidente, Arialdo Boscolo.

O ofício ressalta, ainda, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) define saúde como “Bem estar físico, mental e social”, totalmente alinhado com os objetivos dos clubes.

A FENACLUBES citou, como exemplos, os clubes do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso do Sul que já estão autorizados por decretos estaduais a operar parcialmente seguindo protocolos sugeridos pela instituição, que foram baseados nas mais rígidas normas e orientações das autoridades da área da saúde. São elas:

• Uso obrigatório de máscara em todas as dependências do Clube;

• Aferição de temperatura corporal antes do acesso ao Clube e impedimento de entrada em caso de alterações;

• Distanciamento mínimo entre os praticantes de atividades físicas com limitação de acesso a um percentual de associados a cada período, baseado na área disponível de cada Clube; 

• Horários diferenciados para atendimento às pessoas pertencentes a grupos de risco;

• Ampliação da limpeza dos espaços e uso de produtos específicos para eliminação de vírus nos ambientes;

• Utilização de aparelhos de forma individual, com higienização antes e após o uso;

• Utilizar de agendamento prévio e controle de acesso para as atividades com maior demanda.

O segmento clubístico conta atualmente com mais de 11 mil Clubes, que possuem milhões de associados e são responsáveis direta e indiretamente pelo emprego de centenas de milhares de pessoas. A FENACLUBES, enquanto entidade de representação do setor, concluiu a carta se colocando à disposição para dialogar com o poder público e com todo o segmento para auxiliar no processo gradual de abertura das instalações e na adaptação com as devidas medidas de segurança.