Sócios terão desconto na mensalidade do Iate

Nos meses de maio e junho, os Sócios do Iate Clube de Brasília terão uma redução de R$ 200 na mensalidade, o equivalente a 40% da taxa de contribuição mensal, para cada título. O desconto atende à reivindicação do Quadro Social do Iate, que teve seu funcionamento interrompido em cumprimento aos decretos do Governo do Distrito Federal, como parte das ações contra a proliferação do Novo Coronavírus.

A proposta da Comodoria foi aprovada por unanimidade pelo Conselho Diretor em reunião virtual extraordinária realizada na última sexta-feira, dia 08 de maio. Em caráter de urgência, na mesma noite, a medida foi avaliada e aprovada pelo Conselho Deliberativo do Iate. 

O desconto será automático nos boletos dos meses de maio e junho, com vencimentos nos dias 30/05 e 30/06, e vai beneficiar a todos os Associados. Segundo o Diretor Financeiro, João Uchôa, tal medida só é possível graças à saúde financeira e ao forte controle gerencial do Iate. “A decisão foi tomada após detalhada análise orçamentária e visa beneficiar o Sócio Iatista nesse momento de crise econômica em decorrência do fechamento do comércio e dos clubes sociais por conta da pandemia, sem prejudicar, entretanto, as contas do Clube”, explicou.

Esta decisão soma-se às anteriores tomadas pela atual gestão em prol dos Associados. Desde o dia 15 de março, quando a Academia do Iate e o CIATE tiveram que parar de funcionar em cumprimento aos decretos 40.539 e 40.583 do GDF, as mensalidades dos setores não estão sendo cobradas. O Iate fez a devolução dos valores inicialmente cobrados, referentes aos 15 dias proporcionais de março e ao mês integral de abril. Em maio, a cobrança não será realizada, automaticamente. O mesmo se aplica às Escolinhas Esportivas pagas.

Constante manutenção – Desde o início da pandemia e das resoluções do Governo do Distrito Federal para conter a proliferação do Novo Coronarívus, a gestão do Iate está atenta e trabalhando para que os impactos para o Clube, para os colaboradores e para o Associado sejam os menores possíveis. “Pela primeira vez na história, o Iate Clube de Brasília fechou suas portas. Mas, continuamos trabalhando muito para mantê-lo em seu costumeiro padrão de excelência para quando pudermos novamente receber a Família Iatista”, disse o Comodoro Rudi Finger.

Mesmo fechado, o Iate mantém integralmente seu quadro funcional. A jornada dos funcionários foi adaptada para que os serviços essenciais fossem mantidos, respeitando as recomendações das organizações de saúde. Como a interrupção das atividades do Clube, inicialmente prevista para ser até o dia 03 de maio, foi prorrogada pelo GDF por mais duas vezes, cerca de 200 funcionários, principalmente professores de atividades esportivas, do Ciate e da Academia, tiveram seus contratos suspensos este mês, obedecendo às regras da Medida Provisória 936/2020. “O objetivo é garantir os empregos e não realizar demissões”, disse Marili Rodrigues, Diretora de Administração e Recursos Humanos.

Desde o decreto que determinou a suspensão das atividades, em 18 de março, as equipes têm atuado na limpeza, manutenção, conclusão de relevantes obras e para garantir a segurança do patrimônio do Associado. O Conselho Diretor se mantém ativo, acompanhando as decisões governamentais e todos os seus desdobramentos e, a partir de então se reunindo semanalmente para determinar os rumos para o enfrentamento desta crise, jamais antes vista desde a fundação do Iate, há 60 anos. 

“Entendemos que o momento exige a compreensão e parceria de todos. Nossos canais de atendimento continuaram funcionando para que o Associado possa tirar suas dúvidas. Manteremos também, neste período, nossos canais de comunicação ativos, para que as informações importantes e todas as resoluções cheguem a vocês rapidamente”, concluiu o Comodoro.